Composição de cena: como acertar em seus vídeos
Composição de cena: como acertar em seus vídeos
Composição de cena: como acertar em seus vídeos

Composição de cena: como acertar em seus vídeos

Carolina Reggiani
escrito por
Carolina Reggiani
Tempo de leitura: 4 minutos

Veja 7 técnicas de composição de experts do Audiovisual para aprender a filmar e produzir vídeos de sucesso

Os vídeos estão fazendo cada vez mais sucesso na internet e são responsáveis por grande parte do engajamento nas redes sociais, landing pages e sites. Por isso, se você ainda não está produzindo vídeos para o seu negócio, pode estar na hora de começar!

Quem está iniciando a produção de vídeos e precisa de algumas dicas veio ao lugar certo! O nosso time de profissionais de vídeo separou as 7 dicas de composição que vão ajudar a deixar qualquer produção audiovisual com aspecto profissional!

Em um ambiente tão competitivo por atenção quanto a internet, “detalhes” podem fazer a diferença no tempo que o espectador continuará assistindo o vídeo e como ele responderá ao conteúdo posteriormente.

Extra! Se você deseja se especializar ainda mais na área e quer entender o vocabulário técnico usado no audiovisual, como os tipos de enquadramento, baixe agora este Dicionário gratuito com os principais termos!

Composição de cena em vídeos

Uma boa composição de vídeo é capaz de gerar uma estética harmoniosa, fixar a atenção do espectador para pontos de interesse do assunto e até alcançar um efeito “emocional”.

Além da composição e do enquadramento, usar os aparelhos certos também pode ajudar. Confira quais equipamentos são importantes para profissionalizar seus vídeos e outras dicas incríveis!

Antes de começar qualquer gravação, lembre sempre de escolher bem o ambiente, quanto mais luz natural, melhor. Faça uma limpeza no espaço e organize o cenário apenas com objetos-chave, para não ficar poluído visualmente.

Agora vamos às regras básicas que guiam os filmmakers na hora de obter os melhores enquadramentos de câmera, válidos para vídeos e fotos:

1. Regra dos terços

A regra dos terços é uma das mais conhecidas de uma composição de imagem. Boa parte das câmeras já apresenta as linhas dos terços em seus visores, o que auxilia o produtor de conteúdo a posicionar os objetos principais nos pontos mais atrativos da tela.

Regra dos terços.

Conhecidos como pontos de interesse, eles são formados pelas intersecções das 2 linhas horizontais e 2 linhas verticais. O olho é naturalmente atraído para esses pontos e os objetos posicionados neles devem ser os principais assuntos da composição.

2. Proporção Áurea

A regra dos terços é derivada da proporção áurea, um padrão geométrico encontrado em toda a natureza, portanto, agradável aos nossos olhos. Apesar de não serem os mesmos pontos de interesse, havendo uma pequena variação da proporção áurea para a regra dos terços, ambas são esteticamente agradáveis para o espectador, por serem aproximadas.

 

Proporção áurea.

3. Simetria e Assimetria

A simetria ocorre quando os objetos de ambos lados da imagem se equilibram. É uma estética agradável aos olhos. Quando em movimento a cena deixa de ser simétrica e se torna assimétrica, a atenção do espectador se volta para a tela.

4. Linhas de perspectiva (diagonais)

Outra maneira interessante de criar profundidade no vídeo é se utilizar de linhas de perspectiva. Essas linhas diagonais funcionam como ponto de fuga para os olhos. Quando as linhas se escondem atrás de outro objeto, nosso cérebro imagina que elas estão continuando, por isso, ocorre a sensação de profundidade.

As linhas diagonais também podem ser usadas para levar a atenção para um ponto do enquadramento. Utilize uma fusão entre a regra dos terços com as linhas diagonais para criar enquadramentos matadores.

Linhas diagonais criam perspectiva.
Linhas diagonais criam perspectiva.

5. Profundidade

A profundidade é responsável por amenizar a sensação da imagem “chapada”. Quando a gravação é feita em um ambiente fechado, a sobreposição de objetos auxilia a criar uma ilusão de profundidade, que não é captada tão facilmente pela câmera quanto por nossos olhos.

Para isso, independentemente do espaço disponível, é interessante criar de 2 a 3 níveis diferentes de profundidade no cenário. Para exemplificar, pense em um cenário básico em que há apenas um apresentador sentado em uma mesa. Para gerar a profundidade de cena, ele pode colocar um objeto na ponta da mesa, mais perto da câmera (na frente do apresentador) e um objeto contrastante próximo à parede (atrás do apresentador). Dessa maneira, a sensação de profundidade será dada mais facilmente.

Objetos em diferentes níveis criam profundidade na imagem.
Objetos em diferentes níveis criam profundidade na imagem.

6. Direção do olhar e ação

Outra dica é deixar o maior espaço do enquadramento para o lado que o olhar ou movimentos estão direcionados. Esse “espaço” dá ao espectador a sensação de liberdade de movimento do apresentador. Mas, se o olhar está direcionado para a margem mais próxima, temos a sensação de que o importante está fora da tela e sentimos frustração e desconforto de não poder vê-la.

A falta de espaço livre trava o movimento da corredora.
A falta de espaço livre trava o movimento da corredora.

7. Harmonização: Contraste e destaques

O uso de objetos com diferentes texturas e cores que causam contraste é importante para a composição de imagem. Esses objetos harmonizam a cena e funcionam como pontos de descanso para os olhos. Porém, é importante que o cenário não fique poluído e os objetos se tornem pontos de distração.

A harmonização da cena depende da composição dos objetos.
A harmonização da cena depende da composição dos objetos.

Precisa profissionalizar seus vídeos? A Voxel Digital conta com uma equipe completa de produção de conteúdo. Conheça nosso portfólio!

Autor

Carolina Reggiani
Carolina Reggiani

Gostou? Deixe seu comentário