Aprenda a profissionalizar seus vídeos em 5 dicas imperdíveis
Aprenda a profissionalizar seus vídeos em 5 dicas imperdíveis
Aprenda a profissionalizar seus vídeos em 5 dicas imperdíveis

Aprenda a profissionalizar seus vídeos em 5 dicas imperdíveis

Daniela Leite
escrito por
Daniela Leite
Tempo de leitura: 6 minutos

Você sabia que os vídeos representam 74% de todo o tráfego online? E que incluí-los em sua landing page pode aumentar em até 80% suas conversões? Essas são estatísticas de uma recente pesquisa da Insivia sobre Video Marketig e ajudam a compreender a importância da produção de vídeos profissionais para sites, blogs e mídias sociais de empresas.

Hoje, qualquer pessoa com um smartphone pode gravar vídeos e postar nas redes. Nesse fluxo na web, cada vez mais as produções bem executadas, com boa qualidade de imagem e áudio, são necessárias para um vídeo se diferenciar e ganhar destaque. A intenção é conquistar a audiência e fazer com que ela sempre retorne as suas páginas.

Engana-se quem pensa que para profissionalizar vídeos é preciso gastar muito ou entender complexas ferramentas de edição. Este post irá te ajudar a entender como gerar vídeos de alta qualidade através de recursos e técnicas básicos. Vamos lá?!

Como fazer vídeos profissionais
Com nossas dicas, seus vídeos vão parecer feitos em estúdio! (Arte: Diana Coelho)

1. Planejamento para vídeos profissionais

Antes de iniciar qualquer gravação é preciso planejar seu conteúdo para facilitar a organização da equipe, evitar desvios de execução e garantir que o resultado final seja incrível. A prioridade é definir os objetivos do vídeo e o público-alvo pretendido. Depois, é preciso definir tema, tempo de vídeo e toda a logística de gravação, esquematizando as informações em um roteiro.

Um roteiro básico deve conter, principalmente:

  • Breve descrições das cenas;
  • Local de gravação;
  • Texto das falas ordenado e com a indicação dos nomes dos palestrantes;
  • Narrações em off (quando houver);
  • Enquadramentos de câmera desejados;
  • Lettering: indicações de elementos gráficos, como GCs (Gerador de Caracteres), vinhetas, artes, animações e demais elementos para situar o editor de vídeos posteriormente;
  • Trilha sonora e efeitos sonoros (quando houver).

Nessa etapa, defina também o budget do projeto. Pense na possibilidade de investir em equipamentos e no convite de pessoas que possam agregar ao seu conteúdo. Mas tenha em mente que, mesmo com baixo orçamento, é possível produzir vídeos profissionais com algumas técnicas que te mostraremos a seguir.

2. Ambiente e cenário

Os elementos a se pensar quanto ao ambiente ideal de gravação são o nível de ruídos do local, a qualidade da iluminação natural e o cenário. Mas não é nada complexo: um local silencioso, com entrada controlável de luz e com um fundo branco ou neutro é tudo que se precisa para uma gravação “clean”, sem interferências externas.

Se for possível investir um pouco, há como melhorar ainda mais este cenário! O que você pode acrescentar:

Chroma Key

O chroma key é obtido a partir do tradicional fundo verde ou azul usado na gravação de filmes (atualmente, o fundo verde é o mais utilizado), que fica por trás da cena e é editado posteriormente com efeitos visuais para simular paisagens e cenários.

 

chroma key
Chroma key. (Foto: Wikipedia)

 

No caso dos vídeos de empresas, o chroma key é “recortado” nos softwares de edição e substituído por fundos neutros para profissionalizar as apresentações. Para um bom resultado, o emprego de chroma key demanda boa iluminação do cenário e um técnico especializado para editá-lo.

Há também o recurso chamado live chroma key de alguns softwares que permite editar o cenário em tempo real. Esse efeito é bastante interessante principalmente para webinars e videoaulas ao vivo. Uma ressalva acontece no caso de pessoas que desejem gravar sozinhas seus vídeos em notebooks: o live chroma key requer concentração e um par de mãos extra para realizar a edição simultaneamente à transmissão. Nessa situação, o recomendado é a utilização de cenários fixos (banners), que geram o ambiente neutro desejado sem a necessidade de edição digital.

Iluminação

Incremente o cenário com spots de luz estrategicamente localizados para favorecer quem está sendo filmado. Existem kits set light que são facilmente encontrados em lojas de equipamentos eletrônicos e consistem em um conjunto de spots de luz para distribuir em seu ambiente de gravação.

 

Kit set light.
Kit set light. (Foto: Atek Flash System)

Experimente diferentes pontos de iluminação, adaptando-os à luz natural e eliminando sombras no rosto da pessoa que estiver sendo filmada. O mais recomendado é manter certa distância entre luzes fortes e o rosto, e posicionar os focos atrás da câmera e nas laterais do palestrante.

3. Equipamentos

Além do ambiente ideal, para se gerar vídeos profissionais é preciso algum tipo de equipamento de filmagem e captura de áudio. A infraestrutura básica é um notebook com câmera e um microfone USB. Algumas especificações do notebook são importantes para possibilitar gravações de qualidade e rodar os softwares de produção e edição de vídeos: procure por computadores i7, a partir da 5ª geração, com 8gb de memória RAM (2 pentes de 4 gb).

Se desejar utilizar câmeras, há equipamentos que darão um resultado excelente com um custo-benefício bastante atrativo. Confira a seguir algumas possibilidades de câmeras, microfones e tripés para diferentes tipos de orçamentos:

Webcam

Webcam Full HD
Webcam Full HD. (Foto: Logitech)

É o tipo de câmera com menor custo do mercado e que entrega uma qualidade relativamente boa de vídeo Full HD. Marcas como a Logitech e Microsoft já vêm com microfone e garantem um áudio profissional.

Handycam

Handycam 4K
Handycam 4k. (Foto: Sony)

As câmeras semi-profissionais e profissionais entregam resultados excelentes. A escolha entre as diversas opções de modelos e marcas depende muito do projeto e da expertise do operador da filmagem.

Há diversos formatos de gravação, como o VGA, HD, Full HD4k, o mais avançado. A diferença entre eles consiste na resolução da imagem, em ordem crescente de qualidade. O Full HD é excelente para o Video Marketing, pois é uma das melhores resoluções das filmadoras disponíveis no mercado com bom custo-benefício.

Até mesmo a qualidade em HD é bastante satisfatória e ideal para produtores que desejam boa resolução de imagem mas não pretendem investir em câmeras Full HD. O formato VGA está mais ultrapassado e não é recomendado para quem quer produzir vídeos profissionais.

Quanto à filmagem 4k, ela representa 4 vezes mais resolução que a Full HD. O aproveitamento desse tipo de imagem é discutível quando se trata de filmagens amadoras, já que sem expertise não se explora todo o potencial desse tipo de equipamento.

A grande vantagem da gravação 4k é sua flexibilidade na pós produção, permitindo, por exemplo, zoom digital com qualidade. No entanto, esse tipo de arquivo é bastante “pesado” digitalmente e demanda investimento também em cartões de memória, pois uma gravação de meia hora, por exemplo, ocupa cerca de 128 Gb de memória. Além disso, a resolução máxima de imagem 4k só será exibida corretamente em monitores igualmente avançados.

Portanto, para a escolha de equipamento com maior custo-benefício, há de se considerar todos esses fatores, e não necessariamente investir nas filmadoras mais avançadas. Leia mais neste artigo sobre a comparação entre Full HD e 4k.

Quanto às dicas de marcas, a Sony, Canon e Nikon são as mais indicadas, pois são disponíveis em diversas opções de resolução de imagem. Além disso, elas possuem entrada para microfones e diversos tipos acessórios e lentes.

Tripés

Tripé com movimentos Pan e Tilt
Tripé com movimentos Pan e Tilt. (Foto: Velbon)

Os tripés são indispensáveis para evitar imagens tremidas ou mal focalizadas, principalmente se houver movimento. Os tripés vão desde os fotográficos (os que sustentam a câmera parada) até os semi-hidráulicos e hidráulicos, que têm ajustes rotatórios e mobilidade (Pan e Tilt). Marcas como a Velbon e a Benko garantem bom custo-benefício.

Microfones

Microfone lapela
Microfone lapela. (Foto: Shure)

Os microfones são importantes para garantir a qualidade sonora de gravações a partir de qualquer tipo de câmera. A qualidade do áudio é superior ao dos microfones embutidos nas câmeras.

Os microfones mais comuns para webinars e palestras são os microfones de lapela, que são pontos sem fio, fáceis de ocultar na roupa do locutor. Algumas ótimas marcas são: Leson, Sony e Shure.

4. Dicas de filmagem

Com toda essa estrutura à mão, não coloque tudo a perder com uma filmagem mal executada. Os pontos de atenção são o enquadramento e o ângulo de filmagem e o movimento de câmera. É importante variar entre planos abertos (mais distantes) e fechados (mais próximos) para evitar vídeos monótonos.

O recomendado também é que o palestrante nunca vire de costas para a câmera, algo comum em vídeos nos quais há telas de slides no fundo. Para evitar esse tipo de postura, o púlpito touchscreen é uma excelente solução. Ele permite todo o controle de slides por uma tela situada no púlpito à frente do palestrante sincronizada com o que é exibido ao espectador.

Notebooks ou monitores touch também são ótimas formas mais baratas de permitir ao palestrante que ele leia e coordene os slides a sua frente.

Púlpito com touchscreen
Púlpito touchscreen. (Foto: Archi Expo)

5. Edição

Por último, edições básicas serão sempre necessárias para aperfeiçoar o resultado final. Elimine ruídos, corte cenas erradas, corrija brilho e assim por diante. Além do básico, alguns outros recursos agregam um aspecto extremamente profissional aos vídeos:

  • Vinhetas: são telas de abertura e encerramento, geralmente acompanhadas de trilha branca (música para reprodução sem direitos autorais). As vinhetas apresentam o logo da empresa, o tema do vídeo, etc.
  • GCs: significa Gerador de Caracteres e são os nomes que aparecem na tela para apresentar convidados e fazer pequenas legendas.
  • Marca d’água: é a inserção da marca no rodapé do vídeo, que dificulta pirataria e gera marketing.

Esses recursos são disponibilizados nas plataformas profissionais de produção de vídeo, tanto para gravações quanto para transmissões ao vivo. Além disso, também permitem que o apresentador compartilhe slides e capturas de tela simultaneamente ao vídeo.

Após esses passos, seu vídeo estará pronto para ser publicado em todas as suas redes. Aqui estão algumas dicas de plataformas gratuitas para divulgar seus conteúdos e aqui algumas tendências de vídeos para conquistar clientes.

Vale a pena investir nessas ferramentas e equipamentos e se diferenciar da concorrência com vídeos profissionais!

Com toda essa produção, você com certeza terá um grande instrumento de marketing e vendas à mão! Aprenda agora como usar os vídeos para atrair mais clientes!

 

Autor

Daniela Leite
Daniela Leite

Jornalista por formação, especialista em conteúdo, acredita no potencial da informação para transformar o mundo.

Gostou? Deixe seu comentário