Manual de Identidade Visual: Como fazer para sua marca
Manual de Identidade Visual: Como fazer para sua marca
Manual de Identidade Visual: Como fazer para sua marca

Manual de Identidade Visual: Como fazer para sua marca

Carolina Reggiani
escrito por
Carolina Reggiani
Tempo de leitura: 4 minutos

Muito mais que o logo! O que você precisa saber para construir um manual de identidade visual

O que é uma identidade visual?

A identidade visual é composta por um conjunto de elementos que comunicam e representam a visão e o posicionamento de uma empresa ou marca. A partir da junção desses elementos, o consumidor consegue reconhecer a marca e seu universo.

A identidade visual está relacionada ao nome da marca, às cores e tipografia que ela utiliza em sua comunicação, seu logotipo, ícones, formas e estilo de imagens. Resumidamente, ela é composta por tudo que representa a marca de forma visual.

A identidade visual representa a marca.
A identidade visual representa a marca.

Qual a importância da identidade visual?

Uma identidade visual é essencial para qualquer empresa, pois é esse estilo bem definido que contará aos clientes quem é a empresa e transmitirá coerência e confiança. Seus elementos permanecem na memória visual das pessoas e, consequentemente, auxiliam nas vendas. Entre seus principais benefícios estão:

  • Aumento do reconhecimento da marca;
  • Destaque diante da concorrência;
  • Aumento na confiança da marca;
  • Imagem de profissionalismo;
  • Campanhas publicitárias bem sucedidas;
  • Maior facilidade em comercializar novos produtos.

Veja como definir as melhores cores para representar o seu negócio!

O que deve ter em um manual de identidade?

A identidade visual precisa ser consistente e, para isso, um bom manual de identidade deve transmitir todas as informações relevantes para criação de conteúdos para a marca em questão. A partir desse manual, qualquer produtor de conteúdo deve poder representar as ideias da marca de maneira efetiva e coerente.

Veja a seguir os principais pontos a serem levantados em um manual de identidade visual.

1. Apresentação da marca

A primeira parte do manual explica o que é a marca. Quais são os seus valores, missão e visão; o que a empresa deseja comunicar para o seu público e qual imagem deseja transmitir. Essa apresentação é importante para contextualizar a marca e auxiliar o produtor de conteúdo.

2. Personalidade

Essa etapa descreve como a marca deseja se comunicar com seu público. Basta fazer um exercício de imaginar a empresa como uma pessoa, e identificar alguns elementos-chave para definir a voz e o tom de voz da marca.

A voz da marca é definida por um adjetivo que humanize suas características (por exemplo: eficiente, prestativo, bem-humorado).

Já o tom de voz define o humor (sério, divertido, sarcástico) e linguagem (formal, cotidiana, gírias do segmento) com que a marca se comunica. Exemplos de frases usadas pelas empresas são bem-vindas nessa etapa.

Você conhece as Brand Personas da Voxel Digital? Confira aqui!

3. Elementos gráficos

Todos os elementos gráficos que compõe a identidade visual devem ser descritos nessa etapa. O logo, tipografia, cores, ícones, fotografias, texturas que compõem a imagem da marca são alguns exemplos.

4. Aspectos técnicos

A descrição de todos os aspectos técnicos do logotipo e composição das artes devem estar presentes:

  • Cores: definir as cores primárias e secundárias da marca, em uma ou mais escalas de cores PMS, CMYK, RGB e HEX;
  • Fonte tipográfica: escolha de qual tipo de letra será usada no logo e textos da marca, em quais tamanhos e efeitos;
  • Logotipo: organização dos guidelines (regras) quanto à concepção e uso do logotipo;
  • Dimensões: parametrização de áreas de proteção do logotipo em peças publicitárias, e dimensões mínimas para impressão e digital.

5. Variações de assinatura

As variações de assinatura são necessárias para demonstrar como representar a marca nas direções horizontal e vertical. A variação também demonstra como e quando utilizar apenas o ícone ou logotipo completo.

O logotipo é formado pela junção do ícone e da fonte.
O logotipo é formado pela junção do ícone e da fonte.

6. Padrão de utilização

A utilização das assinaturas em diferentes materiais institucionais é essencial.

  • Materiais digitais: site, mídias sociais, anúncios online, aplicativo, e-mails.
  • Materiais impressos: cartão de visitas, folhetos, brindes e embalagens.

7. Utilização do logo

Institua exemplos do uso do logotipo e ícones em fundos brancos, preto, coloridos e versões monocromáticas (preto e branco). Também é importante demonstrar a utilização em sobreposição a fotografias e outras opções que estiverem de acordo com o padrão de utilização previsto.

8. Proibições

Assim como deve ser descrito o que pode ser feito na identidade da marca, será necessário usar a imaginação e também colocar uma série de exemplos do que não pode ser feito nos materiais da marca.

Por exemplo, geralmente não podem ser usados backgrounds, efeitos, cores, fontes que estiverem fora do padrão descrito no manual. Para evitar que isso aconteça, as distorções de imagem proibidas mais prováveis devem estar explicitadas.

Dica: Destaque as cores dos concorrentes que não podem ser utilizadas na marca.

Dicas para criar uma identidade visual

1. Público-alvo

Entender qual é o seu público-alvo é o primeiro passo para a concepção de uma boa identidade visual. Com o marketing de centralidade no cliente, é essencial que a marca se comunique para engajar seu consumidor. A definição de uma persona é uma das maneiras de entender as necessidades e gostos dos principais clientes e relacionar a criação a eles.

2. Concorrentes

O estudo dos concorrentes, benchmarking, é a pesquisa sobre marcas que oferecem o mesmo serviço que o seu. O objetivo não é se comparar, e sim identificar os pontos fortes e fracos da concorrência, para definir as oportunidades para a sua marca.

Dica: Aposte no diferencial da marca para a criação de uma identidade visual. Preferencialmente, as cores das concorrentes não devem ser usadas na sua identidade visual, para que a sua marca se destaque.

A identidade visual precisa ser consistente. (Arte: Juliana Polastri)
A identidade visual precisa ser consistente e única. (Arte: Juliana Polastri)

3. Brainstorm

Com todas as pesquisas prontas, está na hora de sugerir novas ideias e deixar a criatividade brilhar! Em uma reunião de brainstorm, é importante que os participantes não sejam inibidos e deem todas as ideias e sugestões. Em uma segunda etapa, são selecionadas as que melhor aderem ao negócio, para ser dada continuidade e chegar-se ao resultado final.

Conheça o Design Thinking e comece a aplicar na sua empresa!

4. Cores, tipografia e estilo

Na reunião de brainstorm, sugestões de cores, tipografia e estilos são o pontapé inicial da identidade visual. É importante que esses elementos sejam coerentes entre si e compatíveis com a personalidade da marca.

Dica: Um ícone flexível facilita a sua utilização em diferentes materiais gráficos.

5. Briefing

Todo bom projeto começa com um briefing. Esse documento deve conter informações importantes para iniciar um manual de identidade. Os estudos iniciais, conclusões das reuniões e sugestões devem estar descritas nesse documento para embasar todo o processo de criação.

Siga a Voxel Digital nas redes sociais Instagram, Facebook e Linkedin e fique por dentro dos nossos conteúdos!

Autor

Carolina Reggiani
Carolina Reggiani

Gostou? Deixe seu comentário